Simples passos para ter uma longa e saudável ereção

A ereção é o maior símbolo da virilidade masculina. Porém, com o passar do tempo e para o desespero dos machos alpha, esse atributo, geralmente, entra em declínio por diversos fatores internos e externos do corpo humano.

Características como tamanho, força, resistência, vigor e energia, por exemplo, podem fazer toda a diferença em um transa, como também podem prejudicar o desempenho sexual de muita gente.

Neste post vamos dar algumas dicas e ensinar passo a passo como ter uma ereção longa e saudável para que você possa fazer bonito na cama e agrade qualquer gata. Confira:

Cuide da alimentação

Uma ereção saudável e uma noite de amor inesquecível não ocorrem simplesmente “do nada”. Para que tudo saia perfeito, alguns cuidados bem importantes devem ser tomados antes do grand finale.

Primeiramente, controle sua alimentação e a ingestão de álcool nos momentos que antecedem a relação sexual. Comidas pesadas e gordurosas não combinam em nada com esforço físico — que você terá que fazer durante o sexo — e certamente irão prejudicar sua ereção.

Uma cervejinha ou algumas taças de vinho até são recomendadas ao casal para criar um clima, deixar o ambiente mais descontraído e aflorar a intimidade, mas sem exageros. O álcool e o tabaco são os principais vilões da ereção e os maiores responsáveis pelas “broxadas” masculinas.

Pratique exercícios físicos

Atividades físicas são fundamentais para melhorar o desempenho sexual e proporcionar maior qualidade na ereção. Os exercícios aumentam a resistência, a força, a libido e a flexibilidade, refletindo diretamente na relação sexual.

Além do mais, elas combatem o sedentarismo e previnem diversas doenças. São importantes para aumentar a confiança e fazer você sentir-se bem consigo mesmo. Um corpo esbelto e saudável também chama mais a atenção e atrai mais, sexualmente falando, a mulherada.

Atenção com o estresse e a ansiedade

Assim como causas externas, fatores internos também contribuem para o bom desempenho sexual. O estresse e a ansiedade são dois inimigos bem conhecidos da ereção. A tensão excessiva aumenta a pressão arterial e os níveis de colesterol no sangue, provocando impotência.

Esquecer momentaneamente dos problemas, encontrar “válvulas de escape”, como um bom papo, um filme ou até exercícios físicos antes de um encontro sexual podem ajudar bastante na performance.

Cuidado com medicamentos

Além das doenças, os remédios indicados para curar distúrbios como depressão, ansiedade e fobias também podem afetar a qualidade da ereção, sobretudo aqueles que reduzem a produção de dopamina, um neurotransmissor responsável pelas sensações de prazer e essencial para o alcance do orgasmo. Para evitar possíveis problemas, procure ajuda de seu médico.

Evite a sensibilidade

Os níveis de sensibilidade variam de um homem para outro. Em excesso, podem certamente prejudicar a transa, pois farão com que seja impossível segurar a ejaculação por muito tempo. E uma das melhores maneiras de diminuir as sensações peniana é utilizar preservativos — e não apenas para isso, claro.

Existem camisinhas dos mais variados tipos, tamanhos, sabores e formatos no mercado. Compre aquela que mais se adeque ao seu pênis e a sua sensibilidade. Algumas, inclusive, prolongam a ereção para que você possa aproveitar ao máximo a relação sexual.

Escolha a posição certa

Por falar em sensibilidade, algumas posições sexuais favorecem a ejaculação. Não conheço ninguém que resista por muito tempo a uma gata de quatro, por exemplo. Por outro lado, certas posturas prejudicam a circulação sanguínea na região peniana, dificultando o orgasmo e prolongando a ereção.

Uma excelente dica é manter um dos joelhos apoiados e flexionar uma das pernas em um ângulo de 90 graus — como se fosse amarrar o sapato ou pedir a gata em casamento. Isso reduz o fluxo de sangue no pênis, impedindo o orgasmo, mas sem diminuir a tensão sexual.

Atenção com o calor excessivo nos genitais

Essa é uma dica preciosa para longo prazo! Muitas pessoas utilizam laptops, tablets ou qualquer outro dispositivo eletrônico diretamente no colo, sob os genitais. O calor excessivo produzido por esses equipamentos pode afetar a produção de esperma e também os nervos e áreas mais sensíveis de seu pênis, causando disfunção erétil e danos irreparáveis.

O ideal é utilizar esses aparelhos em uma mesa.

Modere na masturbação

Para finalizar, nunca gaste mais do que você tem! Essa máxima não serve somente para o dinheiro. A masturbação excessiva pode prejudicar a produção de espermatozoides, reduzir a libido e, principalmente, causar fadiga peniana. Por isso, controle-se, principalmente quando for sair para caçar ou antes de encontrar com alguma gata. Afinal, nunca se sabe quando você precisará estar 100% para satisfazê-la. É preciso estar preparado!

E aí, preparado para ter uma ereção longa e prazerosa? Compartilhe com a gente suas experiências (boas ou ruins) e continue de olho nas dicas aqui do blog. Até a próxima!

Comentários

  1. Rubens Responder

    Eu tenho 45 aznos e meu desempenho ta caindo o que eu fasso

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *