Você conhece o TRT? Entenda como funciona esse tratamento!

A Terapia de Reposição da Testosterona (TRT) é algo bastante comum entre os homens. Porém, esse procedimento ganhou maior visibilidade, de forma negativa, ao ser considerado uma conduta dopante no mundo dos esportes, sobretudo nas lutas marciais mistas (MMA) praticadas no UFC.

Entretanto, muitos lutadores alegam fazer uso desta prática apenas para manutenção de uma vida saudável. E muitos médicos aprovam essa terapia, uma vez que ela é recomendada para equilibrar a produção do hormônio masculino, que começa a entrar em declínio, geralmente, a partir dos 30 anos.

No post de hoje iremos desmitificar o uso da TRT, mostrando como funciona esse tratamento e quais suas principais vantagens. Confira:

O que é

O nível de produção de testosterona começar a diminuir, normalmente, a partir dos 30 anos e acentua-se ainda mais após os 60, o que por muito tempo este processo foi chamado de andropausa. Porém, o termo mais correto é “partial androgen deficiency of the ageing male” (PADAM) ou, em português, “deficiência androgênica progressiva do envelhecimento masculino”.

Apesar de natural, essa queda, em muitos casos, é bastante brusca e provoca grandes alterações físicas, como fadiga, aumento de gordura corporal, diminuição de massa muscular e óssea e, principalmente, psicológicas, como a diminuição do desejo sexual, dificuldade de ereção e, em casos mais graves, a depressão.

Por conta disso, muitos médicos endocrinologistas recomendam a Terapia de Reposição da Testosterona (TRT) para retardar os efeitos desse processo e proporcionar uma qualidade de vida maior a muitos homens.

Como funciona

Após comprovar a queda acentuada da produção hormonal por meio de exames laboratoriais – de sangue ou espermograma – ou clínicos – de toque, densitometria óssea ou ecografia da próstata ou do abdômen –, a terapia pode ser considerada e administrada através de injeções, em casos mais comuns, géis ou adesivos cutâneos.

Quais as principais vantagens do TRT

A TRT apresenta resultados significativos relacionados à perda de peso, à redução de gordura localizada e ao aumento da massa muscular, da densidade óssea e da libido. Mas para perceber estes benefícios é preciso seguir uma dieta equilibrada e balanceada, praticar exercícios físicos, manter uma boa qualidade do sono e pôr fim em hábitos nocivos ao organismo como ingerir muita bebida alcoólica e fumar, tudo feito através de um acompanhamento médico.

A polêmica

A grande polêmica em torno desse procedimento se dá por conta da reposição desnecessária de testosterona, algo comum em atletas. Isso ocorre, na maioria das vezes, com o intuito de ganhar massa muscular e melhorar o desempenho esportivo, o que, muitas vezes, passa a não ser saudável, pois esse hormônio em excesso pode provocar sérios distúrbios como o aumento da incidência de desenvolver câncer de próstata e de mama, de ter um infarto agudo do miocárdio ou insuficiência cardíaca e de ter um acidente vascular cerebral (AVC).

Além do mais, a reposição sem necessidade, por aumentar consideravelmente os níveis de testosterona no metabolismo, faz com que, de forma natural, o corpo humano entenda que não precisa mais gerar essa substância.

Por ser um tema controverso e polêmico e para acabar com possíveis vantagens em decorrência do uso dessa terapia, a Comissão Atlética do Estado de Nevada, que rege o uso dessas substâncias pelos lutadores em todo o mundo, decidiu proibir o uso de TRT por parte dos atletas, considerando essa prática doping.

E você leitor, é contra ou a favor da TRT? Já conhecia essa terapia? Deixe o seu comentário abaixo! Até a próxima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *