Testosterona: o que é esse hormônio e quais são os benefícios dele para o nosso organismo?

Testosterona: o que é esse hormônio e quais são os benefícios dele para o nosso organismo?
4.9 (97.14%) 7 vote[s]

A testosterona é um hormônio que é produzido no testículo do homem e nas mulheres ele é produzido nos ovários e também nas glândulas supra-renais.

Contudo, a produção do hormônio no caso dos homens é bem maior, cerca de trinta vezes maior do que é produzido nas mulheres.

Qual é a função do Hormônio Testosterona?

Ele é responsável  por muitas características masculinas, seja elas físicas ou comportamentais.

  • As características físicas também incluem:
  • Fortalecimento dos ossos;
  • Tonificação dos músculos;
  • Desenvolvimento dos órgãos sexuais;
  • Engrossamento da voz durante a puberdade;
  • Estímulo cerebrais responsáveis pela libido;
  • Crescimento dos pelos.

Qual a importância dele para o organismo masculino?

A testosterona é de extrema importância para o organismo do homem.

Sobretudo na produção de proteínas e é essencial para as ereções e no funcionamento saudável do desempenho sexual.

Assim, no organismo da mulher há o estrogênio, hormônio que é similar a testosterona no corpo do homem.

Porém, se produzida em grande quantidade a testosterona pode afetar no humor e comportamento das pessoas, tanto no comportamento masculino quanto o feminino.

Prováveis efeitos da baixa da testosterona no organismo

A baixa da testosterona acarreta uma resposta mais devagar dos órgãos em que o hormônio pera, ocasionando uma série de transformações.

Dessa maneira, é normal que em homens com a saúde em dia existam alterações nas quantidades da testosterona.

Entretanto, as transformações não obrigatoriamente ocorrem com o mesmo efeito, depende de cada organismo.

A andropausa, por exemplo, é uma das consequências da baixa produção desse hormônio.

Inevitavelmente, ela é uma condição hormonal causada pela baixa produtividade de testosterona, ou seja, uma queda da produção do hormônio.

A probabilidade maior de desenvolver andropausa são em homens com mais de 40 anos de idade.

Sintomas mais frequentes quando a testosterona é produzida em baixa quantidade:

  • Diminuir o desejo sexual, no caso dos homens;
  • Diminuir a massa muscular;
  • Diminuir os pelos;
  • Minimizar a força muscular;
  • Problemas de memória;
  • Aumentar a gordura centralizada na região do abdome;
  • Acarretar cansaço excessivo;
  • Causar insônia;
  • Ter mais chance de ter osteoporose;
  • Ocasionar mudanças psicológicas, emocionais e comportamentais.

Como a escassez desse hormônio pode impactar no corpo do homem?

1. Diminuição da libido

A diminuição repentina da libido, sem que haja nenhum outro fator externo como causa suspeita, o uso de remédios psicoativos, por exemplo pode ser acarretada pela baixa da testosterona no organismo.

Médicos endocrinologistas alegam que também é possível que o homem note uma falta de ereções também. Um dos sinais mais claros da falta da libido.

Mesmo as ereções matinais involuntárias.

O indivíduo que está com um menor nível de testosterona no organismo também tem mais probabilidade de sofrer com a infertilidade.

testosterona

Entretanto, ereções menos potentes ou inexistentes podem estar relacionadas com outras condições também, como doenças cardiovasculares ou a diabetes.

Dificilmente esses sintomas apresentados isoladamente estão conectados apenas com a baixa de testosterona.

2. Perda de massa muscular

A interferência da testosterona nos músculos masculinos é facilmente notada.

Durante a puberdade, começa a produção de testosterona nos testículos e os meninos adquirem mais força nos músculos.

Pesquisadores apontam que entre os 20 e 30 anos de idade, essa diferença é crescente, há um aumento razoável nos níveis desse hormônio no sangue.

Porém, se acontece uma diminuição dos níveis de testosterona no organismo, o homem poderá ter uma certa dificuldade para ganhar massa muscular, mais especificamente na região abdominal.


3. Diminuição dos pelos

O crescimento dos pelos em algumas localidades do corpo está relacionado diretamente a produção de testosterona, tanto no organismo do homem quanto no da mulher.

Na puberdade masculina, começa o crescimento de pelos em várias regiões, na região púbica, rosto, virilha, nádegas, tronco.

Por isso, baixos níveis de testosterona pode provocar pouco desenvolvimento de pelos em variadas regiões do corpo.

Entretanto a baixa de testosterona não é o motivo para queda de cabelo ou a calvície.

O hormônio responsável pela queda de cabelos é a diidrotestosterona, uma metabolização da testosterona.

4. Problemas na memória

O sistema nervoso também pode ser afetado baixos níveis de testosterona.

O hormônio atua diretamente nele, envolvendo áreas incumbidas pela cognição e concentração.

Desse modo, baixas concentrações da testosterona provoca empecilhos para assegurar a concentração nas atividades rotineiras.

5. Aumento da gordura localizada na barriga

A perda da massa muscular é bem comum quando a testosterona está em baixa, há uma redução considerável do volume dos músculos quando não há normalização dos níveis de hormônio.

A diminuição dos músculos (massa magra) ocasiona no ganho de gordura especialmente na região abdominal.

Essa mudança é mais notada na região no quadril.

Além disso, se o homem não pratica exercícios físicos, o corpo absorve os alimentos consumidos e os transforma em gordura.

6. Cansaço excessivo

Um efeito comum dos baixos níveis de testosterona no organismo é o cansaço excessivo.

Isso acontece porque o hormônio está relacionado com a produção de energia e poucas quantidades da testosterona se expressa na presença do cansaço.

O cansaço e a ausência de disposição precisam necessariamente se manifestar em conjunto com outros sintomas associados à testosterona, uma vez que, tais efeitos desacompanhados de outros sintomas é provável que seja indício para outras disfunções.

7. Insônia

O falta de sono também é uma característica marcante do baixo nível de testosterona no organismo. O sono se menos revigorante e relaxante.

E em certas ocorrências, acarreta inquietação no período noturno e consequentemente a insônia.

8. Mais probabilidade de ter osteoporose

Uma das principais causas da osteoporose masculina é a baixa da testosterona.

Níveis inferiores de testosterona estão diretamente ligados a problemas de mobilidade e fraqueza dos ossos em pessoas mais velhas.

O hormônio atua na densidade óssea e sua ausência pode deixar o órgão mais fraco.

9. Mudanças comportamentais e psicológicas

O aumento dos casos de depressão na fase idosa se deve ao fato dos baixos níveis da testosterona.

Ela também pode atuar no sistema nervoso e provocar modificações na sensação de bem-estar e no comportamento dos homens.

O resultado é uma pessoa mais triste, tendo muitas chances de avançar para uma doença.

10. Andropausa

A andropausa é conhecida como a menopausa masculina.

Os homens podem notar sintomas parecidos com o da menopausa por volta dos 40 a 55 anos.

Diferente das mulheres, não há um sintoma específico como é a pausa dos ciclos menstruais para demarcar essa grande mudança hormonal no organismo.

Porém, são marcados por uma desarmonia nos níveis de hormônios. No caso das mulheres é o estrógeno e nos homens, a testosterona.

As modificações ocorrem gradualmente nos homens e possivelmente acontece uma mudança comportamental, perda de libido, no humor, falta de energia entre outros sintomas já falados aqui.

Estudos afirmam que a diminuição da testosterona pode oferecer riscos para quem já tem algum problema de fragilidade nos ossos.

Se você já manifestou alguns desses indícios, você precisa considerar a procura a ajuda de um médico especialista.

Métodos naturais para aumentar a produção da Testosterona

Se você tem interesse em aumentar os níveis de testosterona de modo saudável, sem recorrer a métodos artificiais e muitas vezes prejudiciais a sua saúde, é interessante saber que existem métodos naturais para aumentar a produção desse hormônio.

Tais métodos te ajudarão a praticar mais exercícios e a ter mais qualidade de vida.

 

Descubra como aumentar a testosterona sem anabolizantes


Veja abaixo o vídeo do médico especialista em nutrição Vitor Azzini, com dicas para aumentar naturalmente os níveis do hormônio no organismo:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *