Mitos sobre ejaculação precoce que muita gente ainda acredita




Um dos maiores temores do homem: assim pode ser definida a ejaculação precoce, que acontece quando a ejaculação ocorre logo após a penetração ou até mesmo antes, sem controle algum por parte do homem.

A maior parte da ala masculina, porém, só tem essa informação sobre o assunto (ou até menos), e passa a criar mitos em torno da questão.

Só que a ejaculação precoce não é um assunto assim tão simplista para achar que uma experiência sexual ruim já o transformaria em um expert nessa área.

A disfunção, por exemplo, só é caracterizada em um indivíduo quando se repete com frequência e a principal causa é a ansiedade.

Outros fatores também podem acarretar no problema, no entanto, muitas histórias nas quais os homens acreditam acabam prejudicando o processo. Nesse caso, informação definitivamente é tudo.

Confira alguns mitos sobre ejaculação precoce e não caia na armadilha da informação errada!

MITO #1 – Não existe tempo médio para atingir o orgasmo

Tem gente que acredita que o mais comum nas relações sexuais é o mesmo que acontece nos filmes pornô, em que a penetração tem duração superior a 30 minutos. Se esse é seu caso, saiba que não é bem assim.

Existem inclusive estudos que definem a duração média para o tempo em que o pênis fica dentro da vagina antes de atingir o orgasmo.

Aliás, existe até sigla para isso IELT (Intravaginal Ejaculation Latency Time): avaliando mais de 500 casais do mundo inteiro, as pesquisas descobriram que o IELT é de 5,4 minutos.

RECEBA GRÁTIS POR E-MAIL

  • O livro 45 Segredos do Homem Muito Bom de Cama
  • Dicas e estratégias exclusivas de sexo e sedução

Cadastre-se abaixo e faça o download imediatamente:

É claro que esse tempo de cinco minutos pode ser expandido, só que em termos razoáveis e não indefinidamente.

O IELT considera a ejaculação abaixo de um minuto como precoce, mas avalia que existem razões para isso acontecer às vezes (como muito tempo sem sexo), e a preocupação deve vir somente depois de repetidas experiências com o mesmo resultado.

MITO #2 – Praticar masturbação muito rápido treina o corpo para ejacular precocemente

De forma alguma. A masturbação é recomendada por muitos especialistas como uma prática saudável e em nada atrapalha uma relação sexual!

Vale destacar também que os estudos sobre ejaculação precoce também abordaram homens que se masturbam e suas “técnicas” de masturbação, depressa ou devagar, e a ejaculação rápida foi detectada nos homens que se masturbam das duas maneiras.

Ou seja, esse mito não tem nada a ver!

MITO #3 – Uma experiência sexual do passado pode causar ejaculação precoce

Esse é um dos maiores mitos sobre ejaculação precoce. Principalmente em homens mais jovens que tiveram uma ou duas experiências sexuais muito rápidas na juventude e acham que esse é o fator preponderante para suas relações futuras durarem pouco.

Pois bem, não é verdade. Ao menos quando falamos em um aspecto físico. A ejaculação precoce é uma disposição quase 100% psicológica e suas causas mais comuns são ansiedade, conforme dito acima, e também estresse.

Então ficar traumatizado pode, sim, gerar ejaculação precoce, mas somente se você deixar, e não por algum tipo de predisposição física ou condicionamento do corpo por conta de uma relação passada.

Tente relaxar…

MITO #4 – Ejaculação precoce acontece somente no auge da vida sexual

É muito comum os homens acreditarem que irão se “curar” da ejaculação precoce depois que ultrapassarem a adolescência ou, no máximo, quando saírem da faixa dos vinte anos de idade.

Isso não é verdade. A ejaculação precoce pode acontecer em qualquer fase da vida.

Sim, ela é mais comum na adolescência, no entanto, se o distúrbio não for tratado, a única forma que o indivíduo experimenta de sexo é com ejaculação precoce, o que pode causar um condicionamento, piorando a situação e causando até uma disfunção erétil.

Analisando todos esses mitos, já dá para saber que é preciso prestar atenção e tratar a ejaculação precoce em qualquer fase da vida, além de procurar sempre se manter realmente informado, ficando longe dos mitos que muitas vezes só agravam a situação.

Tem alguma dúvida sobre o assunto que não incluímos na nossa lista? Clique aqui.