Entenda como as artes marciais ajudam você a viver de bem com a vida

Quem se amarra nas chaves de braço das populares lutas de MMA – uma sigla que, em inglês, significa “Mixed Marcial Arts” (artes marciais misturadas, em tradução livre) – talvez não saiba que, dentro dos octógonos, não há carniceiros, mas atletas totalmente focados, disciplinados e treinados.

As artes marciais ganham a cada dia adeptos dos mais variados perfis e de todas as classes. Desde o advogado franzino até a dona de casa atribulada, todo mundo está correndo atrás de cursos como Jiu Jitsu, Judô e Kung Fu, em busca de equilíbrio emocional para lidar melhor com os “golpes” do cotidiano e levar a vida numa boa.

Em busca de preparo físico com o “brazilian Jiu Jitsu”

Engana-se quem pensa que o objetivo principal do Jiu Jitsu é simplesmente ensinar táticas de luta para defesa ou ataque. Mais do que isso, o Jiu Jitsu contribui para o preparo físico e emocional do indivíduo, deixando-o pronto para enfrentar oponentes – ou problemas – de qualquer tamanho (literalmente).

O melhor do Jiu Jitsu é que, para aprender, não é preciso ser uma montanha de músculos. O internacional Hélio Gracie, que, ao lado do irmão Carlos, criou o que hoje entendemos como “brazilian Jiu Jitsu” foi claro ao sintetizar o motivo pelo qual inventou a modalidade: “para dar mais chances aos mais fracos”.

Fugindo do estresse com o tradicional Judô

Os nomes Tiago Camilo e Sarah Menezes lembram alguma coisa? Sim, ambos são famosos judocas medalhistas nas Olimpíadas. A consagração desses e muitos outros atletas é a prova de que o Judô pode ser considerado o futebol das artes marciais, pois há muito tempo faz a cabeça dos brasileiros, atraindo desde crianças a adultos.

O que muita gente não sabe é que a prática do Judô é extremamente eficiente para o combate do estresse – esse mal moderno – já que prioriza a respiração, uma atividade simples, mas que volta e meia é negligenciada em meio à correria frenética do dia a dia.

Adquirindo mais equilíbrio com o Kung Fu

“Seja água, meu amigo”, é o que costumava dizer o mestre do Kung Fu Bruce Lee. Com a famosa frase, Lee queria dizer que a melhor forma de vencer um obstáculo é nos adaptando a ele, compreendendo-o.

Disciplina, paciência e equilíbrio são virtudes trabalhadas nas aulas de Kung Fu. Seja ou não fã dos filmes de ação e ensinamentos de Bruce Lee, quem descobre a luta descobre, também, ferramentas para melhorar a postura, tanto corporal quanto a relacionada à forma com que enfrenta a vida, além de aprender a se desviar de outra moléstia dos nossos dias, a depressão.

Agora que você teve uma amostra de tudo que as artes marciais podem fazer por você, é hora de escolher uma modalidade! Lembre-se de que o que realmente importa é fazer algo que traz prazer e alivia a tensão diária.

Ainda tá na dúvida? Então trate de aproveitar as aulas de teste que a maioria das academias permite que um iniciante faça. Além disso, conversar com alunos e professores é importantíssimo para uma ideia mais clara do clima dos treinos, o que só tem a contribuir para que a primeira experiência com as artes marciais seja a melhor possível.

E aí, pronto para o pontapé inicial? Sobrou mais alguma dúvida esparramada no tatame? Conte para nós!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *